sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Eu aprendi

Eu aprendi...
...que ignorar os fatos não os altera;

Eu aprendi...
...que quando você planeja se nivelar com alguém, apenas esta permitindo que essa pessoa continue a magoar você;

Eu aprendi...
...que o AMOR, e não o TEMPO, é que cura todas as feridas;

Eu aprendi...
...que ninguém é perfeito até que você se apaixone por essa pessoa;

Eu aprendi...
...que a vida é dura, mas eu sou mais ainda;

Eu aprendi...
...que as oportunidades nunca são perdidas; alguém vai aproveitar as que você perdeu.

Eu aprendi...
...que quando o ancoradouro se torna amargo a felicidade vai aportar em outro lugar;

Eu aprendi...
...que não posso escolher como me sinto, mas posso escolher o que fazer a respeito;

Eu aprendi...
...que todos querem viver no topo da montanha, mas toda felicidade e crescimento ocorre quando você esta escalando-a;

Eu aprendi...
...que quanto menos tempo tenho, mais coisas consigo fazer. 

William Shakespeare
Imagem: liviareginasouza.blogspot.com

Há momentos

Há momentos na vida em que sentimos tanto
a falta de alguém que o que mais queremos
é tirar esta pessoa de nossos sonhos
e abraçá-la.

Sonhe com aquilo que você quiser.
Seja o que você quer ser,
porque você possui apenas uma vida
e nela só se tem uma chance
de fazer aquilo que se quer.

Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.
Dificuldades para fazê-la forte.
Tristeza para fazê-la humana.
E esperança suficiente para fazê-la feliz.

As pessoas mais felizes
não têm as melhores coisas.
Elas sabem fazer o melhor
das oportunidades que aparecem
em seus caminhos.

A felicidade aparece para aqueles que choram.
Para aqueles que se machucam.
Para aqueles que buscam e tentam sempre.
E para aqueles que reconhecem
a importância das pessoas que passam por suas vidas.

O futuro mais brilhante
é baseado num passado intensamente vivido.
Você só terá sucesso na vida
quando perdoar os erros
e as decepções do passado.

A vida é curta, mas as emoções que podemos deixar
duram uma eternidade.
A vida não é de se brincar
porque um belo dia se morre.

Clarice Lispector

Imagem: enquantovocnovem.blogspot.com

Definitivo

Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas,
mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.

Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos
o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções
irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado
do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter
tido junto e não tivemos,por todos os shows e livros e silêncios que
gostaríamos de ter compartilhado,
e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.

Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas
as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um
amigo, para nadar, para namorar.

Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os
momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas
angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.

Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.

Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo
confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam,
todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.

Por que sofremos tanto por amor?
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma
pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez
companhia por um tempo razoável,um tempo feliz.

Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um
verso:

Se iludindo menos e vivendo mais!!!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida
está no amor que não damos, nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do
sofrimento,perdemos também a felicidade.

A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional...

Carlos Drummond de Andrade

http://abreutax.blogspot.com/2009/10/definitivo-como-tudo-o-que-e-simples.html

Felicidade

Pode-se pensar que os amáveis são os perfeitos. Não há perfeição quando se trata de habilidade emocional. Há um caminhar decidido pelas veredas da felicidade. Os amáveis têm os mesmos problemas que todos os outros, entretanto se decidiram pela felicidade, que não é a mesma coisa que o prazer inconsequente ou a necessidade de festa todos os dias, ou o isolamento, ou a aparente sinceridade do irado.
O amor é o sentimento nobre que tem a capacidade de fazer a pessoa humana feliz. Todos nascem para a felicidade, esta é uma verdade universal. Em qualquer cultura, em qualquer povo, por maiores que sejam os absurdos cometidos ( pelo menos sob o ponto de vista da cultura ocidental comtemporânea ) a busca é pela felicidade. Ninguém quer ser infeliz.
Entretanto, são muitos os fatores que afastam o ser humano de sua essência, assim ele acaba deixando de lado essa possibilidade e mergulhando em uma maré de derrotismo e pessimismo ou falsa vitória. A felicidade é uma decisão e tem de ser uma decisão consciente. A pessoa feliz não precisa sair dando risada o tempo todo para mostrar que é feliz.
Quando se fala em felicidade, fala-se em amor. Não necessariamente o amor "eros", o amor corporal, o amor sexual. Fala-se em amor como um motor que move a chama da vida e conduz a patamares inacreditáveis de realização. O amor que faz com que o equilíbrio possa ser invisível. O amor, simplesmente o amor.
E como preparar o ser humano para o amor ou para a habilidade emocional ? O que pode a escola fazer para despertar esse gigante?
A resposta não é tão simples, porque o amadurecimento é um processo que envolve tempo e dedicação; tempo e conhecimento; tempo e vontade.

Trecho do livro: Educação: a solução está no afeto - Gabriel Chalita

NADA COMO O TEMPO

Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com uma outra pessoa, você precisa, em primeiro lugar, não precisar dela.
Percebe também que aquele alguém que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente não é o "alguém" da sua vida.
Você aprende a gostar de você, a cuidar de você e, principalmente, a gostar de quem também gosta de você.
O segredo é não correr atrás das borboletas... é cuidar do jardim para que elas venham até você.
No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!
Imagens: http://www.nossanoite.com.br/divadomasini/fotos/tempo_voa.jpg Imagem: Boneco felicidade - josimardesouza.blogspot.com